domingo, 24 de junho de 2012

JORNAL DE ESTOCOLMO Loppi, Finlândia, 23/06/2012



     
        Caríssimo, caríssima
        Num encontro de um dia de PSYCH-K na Alemanha tirei pela primeira vez uma carta do baralho de afirmações da Louise L. Hay.
        Quando li a carta fiquei maravilhada. Lá estava em alemão, mais ou menos, isso: ¨Hoje faço meu melhor e meu melhor é suficiente.¨
        Que leveza, que aceitação maravilhosa! Porque na verdade, por mais que eu me esforce, como muitas vezes nos é pedido, não conseguirei
       fazer melhor que meu melhor. Ou seja, nunca alcançarei a perfeição.
        Essa frase é também uma das afirmações/crenças do PSYCH-K .
       Isso não quer dizer que ficarei parado/a pra sempre. Significa que me aceito como sou. Esse é o primeiro passo pra transformação que quero.
      O texto abaixo é a leitura de hoje desse livro espetacular que me acompanha em alemão faz muitos anos.
      Dei-o de presente quando saí da Alemanha. Na volta, não sabendo o nome, não podia procurá-lo.
      Um dia , na livraria de Aachen, uma amiga me chamou pra mostrar um livro de que gostava e ele aproveitou pra aparecer pra mim.
     Comprei-o imediatamente de volta. E procuro levá-lo sempre comigo pra onde vou.
    Cansada de pedir que alguém traduza seus textos pra mim, resolvi me aventurar a fazer isso de vez em quando.
    Bem, quem diria que algum dia eu teria a coragem de fazer traduções livres de um livro em alemão?
   Presentes que a gente vai ganhando pelo caminho quando se aventura por ele.
  Espero que gostem.
  Abraços.
  Alzira M.
 www.visualizecriativa.com


     Separando-se de velhas crenças 
   (Do livro The Language of Letting Go: Daily Meditations for Codependents    Melody Beattie  Até minha última pesquisa, sem tradução no Brasil.
     Esta é uma tradução livre feita por mim.)

  
  ¨ Esforce-se mais. Faça melhor.Seja perfeito.¨

  Essas crenças são armadilhas com as quais as pessoas nos ¨pegam¨. Por mais que nos esforcemos por fazer nosso melhor, acreditamos sempre que

temos que fazer ainda melhor. A perfeição nunca é alcançada; por isso estamos sempre insatisfeitos com o bom que conseguimos realizar.

 Crenças que tem a perfeição como tema são, por isso, armadilhas, porque nós nunca conseguimos alcançar esses objetivos. Enquanto essas crenças

nos dirigirem/influenciarem, nos sentiremos insatisfeitos conosco ou com o que realizamos.

 Nós nunca nos sentiremos suficientemente bons enquanto não mudarmos esses conselhos/crenças e começarmos a nos dizer que somos suficientemente bons.

 Nós podemos começar a mudar isso reconhecendo nosso valor e nos aceitando. Nós somos suficientemente bons assim como nós somos. O que nós

fizemos ontem foi  bom;o que fazemos hoje é igualmente bom.

 Nós podemos ser como somos e fazer as coisas como nós as fazemos hoje. Isso será exatamente assim quando nos desligarmos da ideia de perfeição.

 Ajude-me hoje, Deus, a transformar minhas crenças que me desequilibram. Eu sou livre para ser como eu sou e para aceitar que é bom assim.


 

     Esta é uma tradução livre feita por mim.)
     ¨ Esforce-se mais. Faça melhor.Seja perfeito.¨

  Essas crenças são armadilhas com as quais as pessoas nos ¨pegam¨. Por mais que nos esforcemos por fazer nosso melhor, acreditamos sempre que

temos que fazer ainda melhor. A perfeição nunca é alcançada; por isso estamos sempre insatisfeitos com o bom que conseguimos realizar.

 Crenças que tem a perfeição como tema são, por isso, armadilhas, porque nós nunca conseguimos alcançar esses objetivos. Enquanto essas crenças

nos dirigirem/influenciarem, nos sentiremos insatisfeitos conosco ou com o que realizamos.

 Nós nunca nos sentiremos suficientemente bons enquanto não mudarmos esses conselhos/crenças e começarmos a nos dizer que somos suficientemente bons.

 Nós podemos começar a mudar isso reconhecendo nosso valor e nos aceitando. Nós somos suficientemente bons assim como nós somos. O que nós

fizemos ontem foi  bom;o que fazemos hoje é igualmente bom.

 Nós podemos ser como somos e fazer as coisas como nós as fazemos hoje. Isso será exatamente assim quando nos desligarmos da ideia de perfeição.

 Ajude-me hoje, Deus, a transformar minhas crenças que me desequilibram. Eu sou livre para ser como eu sou e para aceitar que é bom assim.

 


  Essas crenças são armadilhas com as quais as pessoas nos ¨pegam¨. Por mais que nos esforcemos por fazer nosso melhor, acreditamos sempre que
temos que fazer ainda melhor. A perfeição nunca é alcançada; por isso estamos sempre insatisfeitos com o bom que conseguimos realizar.
 Crenças que tem a perfeição como tema são, por isso, armadilhas, porque nós nunca conseguimos alcançar esses objetivos. Enquanto essas crenças
nos dirigirem/influenciarem, nos sentiremos insatisfeitos conosco ou com o que realizamos.
 Nós nunca nos sentiremos suficientemente bons enquanto não mudarmos esses conselhos/crenças e começarmos a nos dizer que somos suficientemente bons.
 Nós podemos começar a mudar isso reconhecendo nosso valor e nos aceitando. Nós somos suficientemente bons assim como nós somos. O que nós 
fizemos ontem foi  bom;o que fazemos hoje é igualmente bom.
 Nós podemos ser como somos e fazer as coisas como nós as fazemos hoje. Isso será exatamente assim quando nos desligarmos da ideia de perfeição.
 Ajude-me hoje, Deus, a transformar minhas crenças que me desequilibram. Eu sou livre para ser como eu sou e para aceitar que é bom assim.
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Quem sou eu

Minha foto
Sou um ser que busca incansavelmente a paz e a liberdade. Busco a verdade que está no conhecimento e no silêncio da alma. Meu trabalho é destinado a buscar, nos recursos das terapias, a chave para libertar e esclarecer, harmonizar e favorecer a saúde em todas as dimensões.